Sabe-se que em pouco tempo a população mundial não terá acesso à água potável e que a conservação do meio ambiente é fator importante para evitar a degradação desse bem natural.

Marco Túlio Paolinelli engenheiro agrônomo comprou uma propriedade em 1980 com solo degradado e passou então a promover atividades de conservação das nascentes. Para isso construiu bolsões, plantou árvores e utilizou o Jambolão para proteger o solo do ressecamento da desertificação. A esse projeto deu-se o nome de “Produtor de Água”. Após 30 anos de investimento a água aflorou e trouxe vida novamente à propriedade. As voçorocas foram contidas, a terra umidificada e até bolsão virou lagoa.

500x500

Antes


500x500

Depois

Saiba mais...

Paolinelli adquiriu a Fazenda São Francisco onde está reproduzindo a técnica do Produtor de Água. Os fatos interessantes são que dentro dessa Fazenda nasce o Córrego Borá e passa o Córrego Borazinho e que essas terras representam um divisor de águas, contribuindo na absorção de água para o Rio Uberaba. Atualmente estima-se que as águas infiltradas nessas terras representam 16% das águas que chegam antes da captação do Rio Uberaba. Mas o sonho do Paolinelli não é só ambiental. Ele tem também a intenção de promover instituições que atendem a comunidade. Para isso foi criado o projeto “Águas Perenes” que viabiliza a conservação ambiental e a destinação de verbas para instituições sociais.



Uma parceria com a Universidade de Uberaba UNIUBE possibilitou o início das atividades de pesquisa envolvendo a conservação de solo, nascentes e flora local.